Açafrão da terra, um poderoso anti-inflamatório e anti-cancerígeno natural

Avaliar postagem

Cúrcuma, turmérico, raiz-de-sol, açafrão-da-índia, açafroa, gengibre amarelo ou açafrão da terra, como é mais conhecido,  é  vendido no mercado em forma de um pó amarelo usado como tempero, mas que, na verdade, é um medicamento muito especial, pois é o mais forte anti-inflamatório da natureza. A curcumina, seu princípio ativo, possui propriedades antioxidantes poderosas que combate com eficácia bactérias patógenas, microorganismos que precisam de ambiente ácido para sobreviver e se reproduzir. Por isso as bactérias são aliadas do câncer, que só se desenvolve onde existe inflamação, pois é através dela que as células cancerígenas se agarram ao tecido celular, de onde foram expulsas, para continuar se alimentando. Portanto, ao eliminar as inflamações de nosso corpo a curcumina age também na prevenção dos tumores. Mas os benefícios do açafrão não param por aí. Ele é também excelente no tratamento do diabetes, pela sua capacidade de redução do nível de glicose no sangue. Combate o Alzheimer, o Parkinson e nos protege de doenças cardiovasculares.

O maior problema da curcumina é que ela é muito pouco absorvida pelo trato gastrointestinal, o que significa que a maior parte do que consumimos vai embora pelas fezes. Outro cuidado no uso desta substância foi observada em uma pesquisa conduzida na Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto. Os estudos mostraram que em dosagem baixa a curcumina previne danos no material genético das células provocados por compostos tóxicos. Mas, em teores elevados, a curcumina pode até matá-las. Dr. Lair Ribeiro, o famoso nutrólogo e cardiologista, sempre diz que a diferença entre o remédio e o veneno está simplesmente na dosagem. Portanto, é preciso saber exatamente como usar e quanto consumir de açafrão para evitar os efeitos colaterais indesejados dessa poderosa planta, que já era usada como medicamento pelos indianos e indonésios há 4 mil anos.

COMO USAR O AÇAFRÃO

A melhor forma de consumir o açafrão da terra como medicamento é misturar o pó em 30 ml de água em temperatura normal, como sai do filtro. A dosagem é que varia.

» Contra o câncer: O Centro de Câncer MD Anderson, nos Estados Unidos, líder em pesquisas sobre a doença, orienta os pacientes a adotarem, de forma gradual, a dose de 8 gramas de curcumina ao dia. Isso dá umas duas colheres de sopa do tempero, que deve ser dividida em quatro porções.

» Como anti-inflamatório e antioxidante: a mesma dosagem de 500 mg duas vezes ao dia.

» Como anticonvulsivo: estudos em camundongos descreveram que a cúrcuma apresentou ação positiva com doses de 80 mg/kg/dia.

» Tratamento da osteoartrite e artrite reumatoide: 500 mg duas vezes ao dia.

» Combater o sangramento das gengivas: massagear com uma mistura feita de partes iguais de açafrão em pó, mostarda, azeite de oliva e sal.

CUIDADOS COM OS EFEITOS COLATERAIS DO AÇAFRÃO

» A curcumina apresenta ação fotossensibilizante para pacientes que recebem o tratamento diário. Assim, o indivíduo fica susceptível às alterações cutâneas quando expostos ao sol (radiação ultravioleta). Neste caso, é recomendável o uso de protetor solar, óculos de sol e chapéu, bem como o hábito de evitar a exposição solar durante o tratamento.

» Para pessoas que apresentam estômago hipersensível, o uso da curcumina pode agravar os sintomas Já o uso prolongado ou em altas doses, pode desencadear úlceras gástricas. Desta forma, seu uso fica restrito para pacientes que apresentam úlceras gástricas e uso cauteloso para aqueles que apresentam histórico pessoal ou familiar de úlceras.

» O açafrão da terra é contra indicado para portadores de distúrbios hemorrágicos e obstrução de ductos biliares.

» A curcumina é um estimulante hormonal, podendo induzir ao aborto, o que restringe seu uso por mulheres grávidas.

Outras contra indicações incluem pacientes que estejam fazendo uso de medicações que alterem suas características de coagulação como antiagregantes plaquetários, anticoagulantes, heparina de baixo peso molecular e agentes trombolíticos.