Energia Corporal: entenda o que ela é e o que faz por você e sua saúde

Avaliar postagem

E = mc2. Esta é a famosa fórmula da energia concebida por Albert Einstein em 1905. Embora seu significado seja muito simples, ela explica uma coisa fantástica. Energia é igual a qualquer matéria multiplicada pela velocidade da luz ao quadrado. Só para se ter uma idéia, a velocidade da luz no vácuo é igual a 300 mil km/s. Ou seja, se você pudesse pegar uma reta e sair correndo nesta velocidade sem atrito seu corpo se transformaria em pura energia. Com base na fórmula de Einstein podemos também afirmar que a energia de um objeto é igual a sua massa multiplicada pelo quadrado de sua velocidade. Atualmente, os poderosos aceleradores de partículas conseguem desintegrar a matéria em energia e um dia esse processo será a fonte de geração de energia no mundo e a humanidade terá energia limpa e inesgotável à sua disposição.

Esse preâmbulo foi só para entender como a física explica a energia, essa coisa maravilhosa que movimenta o universo e torna possível você ligar sua geladeira, seu televisor, seu celular ou seu computador. Com nosso corpo não é diferente. Para ele se movimentar e realizar qualquer tipo de trabalho, interna ou externamente, ele precisa sempre de energia e, dependendo do nível de atividade física, requer muita energia. A melhor forma de definir o nosso nível de energia corporal é recorrendo à filosofia. A energia é o que nos mantém de pé quando todos caem. Pois é a energia que nos dá força e vigor, disposição e saúde para todas as tarefas de nossas vidas. Pessoas sem energia são fracas, desanimadas, depressivas e adoecem facilmente. Um estoque de energia alto nos permite desafiar os nossos próprios limites. Os atletas olímpicos são um exemplo disso. Estão cada vez mais tentando derrubar os recordes. E, para isso, precisam cada vez de mais energia para seus corpos irem além do que já foi alcançado.

Então, precisamos entender como fabricamos a energia em nossos corpos. Primeiramente, é importante saber que nós já nascemos com um nível de energia oriundo do ato sexual que nos gerou. Esta é a energia mais importante da nossa existência e que influencia muito como seremos no futuro. Quando o espermatozoide penetra o óvulo ocorre uma explosão de energia semelhante à do raio tocando a terra, logicamente resguardadas as devidas proporções de carga e tensão elétrica. Mas é uma explosão fantástica que armazena energia no interior do óvulo feminino permitindo o surgimento da vida.

Mas, então, como o nosso corpo continua fabricando a energia que queimamos diariamente em nossas atividades, físicas e mentais? A nossa energia corporal é proveniente de três fontes de matéria-prima: a glicose, as proteínas ou as gorduras. Portanto, são os alimentos que ingerimos que nos fornecessem este material, que é decomposto e injetado em nossas células para a fabricação de energia através da combustão do oxigênio que respiramos. A fonte primária de energia corporal é a glicose, proveniente dos açúcares e carboidratos que comemos. Quando ingerimos estes alimentos em quantidade acima do que queimamos, o nosso organismo armazena o excesso em forma de gordura no fígado e, posteriormente, em diversas partes de nosso corpo, inclusive nas artérias, para ser usada quando estamos sem nos alimentar. O problema é quando o excesso de gordura fica muito alto, porque somos sedentários ou sofremos de hipotiroidismo ou baixo metabolismo,  acumulando placas de gordura em nossas veias, até levar ao seu entupimento. Além disso, quanto mais glicose em nosso corpo, mais o pâncreas fabrica insulina, substância responsável por injetá-las em nossas células. O problema é que elas só aceitam a quantidade que precisam para a fabricação de energia, em conformidade com o nosso nível de atividade física. Então, ficamos expostos a dois tipos de problemas complicados. Primeiro, a insulina nos faz engodar. E, segundo, as células podem se tornar insensíveis a ela, causando o diabetes tipo 2.

Quando reduzimos a ingestão de açúcares e carboidratos, o nosso metabolismo passa a lançar mão também das proteínas para a produção de energia. Mas é importante lembrar que o estoque de proteínas em nosso corpo não pode se limitar à produção de energia, pois nosso organismo precisa de grande disponibilidade de proteínas para manutenção da nossa estrutura física muscular, pele, cabelos, unhas, além de várias reações químicas em nosso organismo. Por exemplo, são as lipoproteínas LDL que transportam o colesterol e a gordura para nossas células e as HDL resgatam o excesso trazendo-os de volta para o fígado. Quando vemos imagens na televisão de habitantes da África em situação de subnutrição por falta de alimentos, notamos que eles estão praticamente em pele e osso. Isto acontece porque na falta de glicose ou gordura acumulada no corpo, nosso metabolismo passa a usar as proteínas de nossos músculos para gerar energia. Em outras palavras, passamos a nos devorar, num verdadeiro processo de autofagia.

Isto acontece porque a condição básica de nossa existência é a energia. Como dissemos no início, é como os aparelhos eletrodomésticos. Se faltar energia, eles desligam. E nós simplesmente morremos. Mas nosso organismo não foi programado para aceitar a morte. Por isto, ele vai lutar até à última instância para nos manter vivos, queimando todas as nossas reservas para nos fornecer energia.

Assim, nossa resistência às doenças e à própria morte depende do nosso nível de energia. Na zona rural é comum acharmos pessoas com mais de 90 anos trabalhando com enxada no sol escaldante. Eles só fazem isso porque possuem grandes quantidades de energia. Existem pessoas que nunca adoecem e nunca tomam remédios. E isto também só acontece porque elas têm grande quantidades de energia.

Mas existe um segredo para se viver com estas tão grandes quantidades de energia?

Sim, existe. Embora não seja exatamente um segredo. É apenas algo que as pessoas desconhecem ou não dão valor. Seguir a Lei da Conservação da Energia. Ou seja, se você quer ter sempre energia disponível para um corpo ativo e saudável, nunca desperdice energia.

Mas o que faz a gente desperdiçar energia?

Vamos relacionar vários exemplos daqueles que são verdadeiros ladrões de energia de nosso corpo:

  • ALIMENTOS ÁCIDOS: quando bebemos refrigerantes, por exemplo, que possuem um pH muito baixo, em torno de 2,5, estamos roubando energia de nosso organismo. Nosso sangue têm um pH natural ligeiramente alcalino, situado na faixa entre 7,35 a 7,45, que não pode ser alterado, caso contrário iremos adoecer e morrer. Então, para evitar que isto aconteça, nosso corpo passa a consumir mais bicarbonato para equilibrar o pH sanguíneo. A fórmula do bicarbonato é HCO3, ou seja, 1 átomo de Hidrogênio + 1 átomo de Carbono + 3 átomos de Oxigênio. Portanto, quanto mais consumimos alimentos ou bebidas ácidas,  mais gastamos oxigênio fabricando bicarbonato e menos dispomos de oxigênio para produção de energia. Em outras palavras, vamos enfraquecer e adoecer.
  • PERDER NOITES DE SONO OU TER NOITES MAL DORMIDAS: é durante o sono que o nosso corpo estoca grandes quantidades de energia sem que ela esteja sendo consumida em atividades físicas. Por isso, quando dormimos bem acordamos com uma sensação de vigor, disposição e bem-estar.
  • VIDA DESREGRADA: consumo de álcool, drogas e tabagismo também roubam a nossa energia e nos enfraquece, nos levando a várias doenças e à morte prematura.
  • STRESS: a tensão nervosa é causada por qualquer fator que nos incomode ou nos preocupe. Ela consome grande quantidade de energia. É um desperdício, além de oferecer o risco de infarto, pois a energia que acumulamos no cérebro é descarregada diretamente para o coração. Dependendo do nível de tensão muito alta pode danificar este órgão e nos matar.
  • PESSIMISMO E DEPRESSÃO: Na verdade, estes dois vilões são irmãos gêmeos. O transtorno causado pelos sentimentos e pensamentos pessimistas nos deprime e inibe o cérebro em comandar eficientemente as funções de nossos órgãos, incluindo a produção de energia. Por isto, pessoas pessimistas são depressivas, fracas e doentes.
  • ÓDIO E RANCOR: Estes sentimentos consomem grandes quantidades desnecessárias de energia. Por isto, se quiser ter uma vida saudável e cheia de energia se livre deles, pois não servem para nada, exceto destruir você.
  • FALTA DE SOL: a energia solar é essencial para nossa vida. Quando ela entra em nosso corpo, nos aquece e evita que nossas células tenham que fabricar muita energia para manter nossa temperatura corporal. É simples entender isto. Uma pessoa passa uma noite com muito frio. Seu corpo será obrigado a queimar muita energia para evitar uma hipotermia. Então, de manhã cedo vem o sol e aquece esta pessoa. Seu corpo imediatamente pára de queimar energia para que ela se mantenha na temperatura ideal.

De tudo que foi dito até agora, guarde um conselho: use a sua energia para o bem, do seu corpo, da sua família e também do mundo. Esta é a forma realmente inteligente de se usar a energia. Lembre-se, quanto mais você se sente bem, mais energia boa você atrai. Pois, como disse Jesus, não vivemos só do que comemos. Além da energia material, existe também a energia espiritual que nos circunda.  Se harmonize com ela e sua vida será um grande sucesso!