Governo americano retira colesterol da lista negra de perigos para o coração

O governo dos EUA finalmente aceitou que o colesterol não é mais um nutriente preocupante. Foi uma mudança radical em seus avisos para se evitar alimentos ricos em colesterol, emitidos desde a década de 1970, com o intuito de prevenir doenças cardíacas e artérias obstruídas. Isto significa que os ovos, a manteiga, os produtos lácteos integrais, as nozes, a gordura de porco e a carne foram agora classificados como seguros e foram oficialmente removidos da lista negra de nutrientes preocupantes para a saúde.

O Departamento de Agricultura dos EUA, órgão responsável pela atualização das diretrizes a cada cinco anos, declarou que,  anteriormente, as Diretrizes Alimentares para os americanos recomendavam que a ingestão de colesterol fosse limitada a não mais de 300 mg/dia. Mas frisou que as evidências disponíveis não mostram uma relação apreciável entre o consumo de colesterol dietético e o colesterol sérico (no sangue), consistente com os níveis recomendados pelo AHA (American Heart Association) e o ACC (American College of Cardiology). Assim, o Comitê Consultivo das Diretrizes Dietéticas não mais advertirá as pessoas contra o consumo de alimentos ricos em colesterol e, em vez disso, se concentrará no AÇÚCAR como a principal substância preocupante na dieta.

O cardiologista norte-americano Dr. Steven Nissen disse: “É a decisão certa. Temos as orientações dietéticas erradas. Eles estão errados há décadas”. Aliás, o nosso brasileiro Dr. Lair Ribeiro já advertia há anos sobre a farsa do colesterol, que só servia para a poderosa indústria farmacêutica faturar bilhões de dólares com a comercialização de estatinas, um das drogas mais vendidas no mundo e muito perigosas para a saúde, com diversos efeitos colaterais.

A verdade é que a maior parte do colesterol circulante em nosso sangue é produzido pelo fígado através da ingestão de açúcar e carboidratos. Todo o nosso corpo precisa de colesterol, principalmente o cérebro e até seus hormônios, que  são compostos principalmente de colesterol, substância essencial para que as células nervosas funcionem corretamente. O colesterol é a base para a criação de todos os hormônios esteroides, incluindo o estrogênio, testosterona e corticosteroides. Colesterol elevado no corpo é uma indicação clara de que o fígado do indivíduo está saudável.

Dr. George V. Mann, M.D. diretor associado do estudo de Framingham para a incidência e prevalência de doenças cardiovasculares (CVD) e seus fatores de risco, afirma que “as gorduras saturadas e colesterol na dieta não são a causa de doença cardíaca coronária. Esse mito é o maior engano do século”. Sim, o colesterol é o maior golpe médico de todos os tempos. Então, você pode parar de se preocupar com o seu nível de colesterol. Os estudos definitivamente provam que o colesterol não é a causa da doença coronariana. A maioria das pessoas que têm ataques cardíacos têm níveis normais de colesterol.

NOSSO CORPO PRECISA 950 mg DE COLESTEROL PARA O METABOLISMO DIÁRIO E O FÍGADO É O PRINCIPAL PRODUTOR.

SOMENTE 15% DE COLESTEROL em nosso organismo é oriundo da nossa alimentação de comidas gordurosas. Se o teor de gordura for menor em nossos alimentos o nosso fígado terá que trabalhar mais para manter o nível de 950 mg. Se o nível de colesterol é elevado em nosso corpo, ele mostra é que o fígado está trabalhando corretamente.