Óleo de Coco, o substituto vegetal da gordura de porco

Até a década de 1930, quando foram introduzidos os óleos vegetais na alimentação humana, a banha de porco era usada nas cozinhas do mundo todo. A maioria dos óleos vegetais era a base de soja, milho, girassol e colza, comercializado como óleo de canola. Todos prejudiciais para a saúde. Daí para a frente os problemas cardíacos dispararam e também o número de infartos e AVCs. No Brasil, entretanto, surgiu um óleo vegetal da melhor qualidade, tão bom e saudável quanto a velha gordura de porco. Ela vinha principalmente do nordeste e as duas marcas mais famosas foram a “Gordura de Coco Dunorte” e a “Gordura de Coco Carioca”, vendidas em pequenas latas a preços populares. Depois da década de 1960, por razões desconhecidas mas suspeitas, o óleo de coco desapareceu das prateleiras dos supermercados, da mesma forma que a banha de porco, raramente encontrada.

Recentemente, o óleo de coco ressurgiu com força total como produto excepcional para a saúde. Seu principal propagandista foi o renomado médico cardiologista e nutrólogo, dr. Lair Ribeiro. Mas o uso medicinal do óleo de coco remonta há 8 mil anos na Índia. Os hindus, criadores da medicina Ayuvérdica, a mais antiga da humanidade, já empregavam o óleo de coco no tratamento de várias doenças. Agora, o óleo de coco virou pop-star na internet. Mas os preços andam bem salgados, restringindo o acesso da população de baixa renda a este produto riquíssimo em ácidos graxos importantes para o bom funcionamento do nosso organismo.

Compre óleo de coco pela internet: www.americanas.com.br/busca/oleo-de-coco

ÁCIDOS GRAXOS ENCONTRADOS NA COMPOSIÇÃO DO ÓLEO DE COCO

É importante ressaltar que os ácidos graxos encontrados no coco são gorduras saturadas de cadeia média e longa de carbono. Embora, a medicina tenha investido contra o consumo destas gorduras saturadas não há um consenso científico de que elas realmente prejudicam o coração. Ao contrário, já se admite que o coração precisa deste tipo de gordura para funcionar perfeitamente.

-> 64% de Ácido Láurico: é uma gordura saturada com grande ação anti-inflamatória, também encontrado no leite humano (5.8% da gordura total), no leite de vaca (2.2%) e leite de cabra (4.5%). 

-> 18% de Ácido Mirístico: outro ácido graxo presente no coco importante para estimular o coração a bombear mais sangue para o nosso cérebro quando estamos em grande atividade física.

-> 9% de Ácido Palmítico: é um antioxidante e fonte de vitamina A.

-> 9% de Ácido Caprílico: é um ácido graxo antifúngico, sendo, portanto, auxiliar no combate a alergias.

-> 7% de Ácido Cáprico: antibacteriano, antiviral e antifúngico, combate inflamações e infecções.

-> 5% de Ácido Oleico: também conhecido como ácido graxo ômega 9 é encontrado em abundância no azeite de oliva, podendo compor até 85% do seu total. Ajuda no combate à diabetes, melhora as funções cerebrais, faz bem para o coração, ajuda a queimar gorduras e protege as membranas celulares do ataque de radicais livres.

-> 2% de Ácido Esteárico: outro ácido graxo encontrado nas carnes vermelhas e nos produtos lácteos gordurosos. Previne a trombose e controla o colesterol.

-> 2% de Ácido Linoleico: também encontrado nas carnes e nos laticínios, esse ácido graxo tem muitas funções no nosso corpo, mas uma especialmente interessante é a gestão do peso corporal, pois reduz a gordura e estimula a massa magra. Atua também no fortalecimento do sistema imunológico, além de ser antioxidante e anti-inflamatório.

-> 1% de Ácido Caproico: este ácido graxo é encontrado naturalmente nas gorduras e óleos animais, responsável pelo odor das cabras. É muito utilizado em cremes, condicionadores, shampoos e desodorantes em bastão.

BENEFÍCIOS DO ÓLEO DE COCO

-> É menos calórico do que outras gorduras, inclusive vegetais

-> Não requer insulina para o seu metabolismo, o que significa que ele previne o diabetes, que começa com a insensibilidade da célula à insulina, que pode ser provocada pelo excesso de produção de insulina devido à ingestão excessiva de alimentos que necessitam dela para o seu metabolismo, como é o caso dos açúcares e os carboidratos.

-> Devido à sua grande quantidade de fibras, está no topo da lista como um dos principais alimentos termogênico, o que significa que sua digestão é lenta, fornecendo energia por mais tempo no organismo. Ou seja, aumenta a sensação de saciedade, fazendo a pessoa comer menos, sendo um ótimo ingrediente da dieta para emagrecimento.

-> Facilita a absorção de outros nutrientes, como vitaminas e minerais lipossolúveis, incluindo cálcio, magnésio, algumas vitaminas B, aminoácidos (proteínas) e vitaminas A, E, K e D. 

-> Ao contrários de outras gorduras, os ácidos graxos presentes no coco não precisam de bile para serem absorvidos pelo organismo, causando, portanto, menos trabalho para o nosso fígado.

-> É antiviral, antifúngico e antibacteriano, sendo muito recomendado para os portadores de HIV e também para pacientes de doenças autoimunes.

-> Previne o Alzheimer e ajuda a reverter os seus efeitos, devido a estimular a produção de acetonas essenciais para o bom funcionamento do cérebro.