Os benefícios do jejum intermitente para a saúde

Os benefícios do jejum intermitente para a saúde
Avaliar postagem

Existe um mito entre os nutricionistas de que a pessoa deve comer de três em três horas. Entretanto, não existe nenhuma prova científica para isso. Na prática, o que se verifica é que quanto mais uma pessoa come mais ela estará disposta a problemas de saúde. Em outras palavras, comer demais e constantemente é que faz mal. Nosso organismo precisa descansar de digerir tanta comida. As pessoas que vivem mais e que têm mais saúde são as que comem menos. Por isto, a prática do jejum é um dos hábitos mais saudáveis que podemos adquirir. Existe o jejum com propósito religioso, mas não é sobre ele a que estamos nos referindo. Estamos falando do jejum intermitente que realizamos conscientemente como forma de controle da ingestão desnecessária de alimentos para o nosso corpo.

Quando estamos em jejum nossa glicemia baixa e, consequentemente, baixa também a produção de insulina, que é um dos principais fatores de obesidade. Nosso metabolismo muda radicalmente, pois ao invés de usar a glicose para fabricar energia nosso organismo passa a queimar a gordura que temos armazenada. Esta gordura foi produzida  com os restos de calorias provenientes dos alimentos que não usamos. Em geral, temos cerca de 2 mil calorias de glicogênios armazenadas em nosso corpo. O glicogênio é um polissacarídeo e a principal reserva energética nas células animais encontrado, principalmente, no fígado e nos músculos. Temos ainda cerca de 40 mil calorias de triglicérides armazenadas. Portanto, nosso estoque de energia é muito grande para suprir o período de jejum, sem causar qualquer fraqueza ou problema para o funcionamento normal de nossos órgãos.

A ansiedade pela comida ou a fome psicológica de comer em determinados horários é um dos piores hábitos que alimentamos em nossas vidas. Devemos comer somente quando nosso corpo está realmente precisando de se alimentar. Então, devemos comer comidas fortes, com bastante gordura animal, como as carnes e a própria gordura de porco, e também ovos. A ingestão dos vegetais serve para nutrir as nossas necessidades diárias de vitaminas e minerais, enquanto as fontes de gordura irão prover a nossa energia. Os carboidratos devem ser a menor parte de nossa dieta.  E, se possível, elimine os açúcares.

COMO FAZER O JEJUM INTERMITENTE

Tem muitos nutricionistas já usando o jejum intermitente como dieta para emagrecer.  É realmente um método muito eficaz e eficiente. Em geral, a pessoa passa doze horas sem se alimentar. Por exemplo, ela faz a sua última refeição às 7 horas da noite e só volta a comer depois das 7 da manhã do dia seguinte. Aliás, este é o melhor horário para se praticar o jejum intermitente. Há prescrições de até 16 horas de jejum diário, ou ainda mais radical de 24 horas duas vezes na semana. Mas certamente será muito sacrificante, o que faz muita gente desistir de jejuar.

Na verdade, o ideal é que o jejum não seja um sacrifício nem exatamente um método de emagrecer, mas um hábito natural da pessoa em se abster de se alimentar desnecessariamente. Ao se conscientizar sobre isso e passar a jejuar, haverá consequentemente uma perda de peso e uma melhoria na saúde e até mesmo uma economia no gasto com o consumo exagerados de alimentos.