Selênio: poderoso antioxidante que nos protege do câncer

Avaliar postagem

A função do selênio no organismo humano é similar ao da vitamina E. Atua como um ótimo antioxidante que impede a formação de radicais livres agressores que danificam nossas células. Além disso, o selênio está envolvido, juntamente com o iodo, na formação do hormônio tireoidiano, o T3. Na sua forma metálica, este mineral apresenta uma cor cinza prateada. Por causa de seu brilho, seu nome foi dado em homenagem à deusa grega da lua Selene. Sua descoberta ocorreu em 1818 pelo químico sueco  Jöns Jacob Berzelius, mas a detecção de sua presença no organismo humano se deu somente em 1975.

BENEFÍCIOS DO SELÊNIO

Como antioxidante, este mineral defende nosso organismo de radicais livres que surgem todos os dias em nosso corpo resultante do processo de fabricação de energia nas próprias células. Quando entram na corrente sanguínea, os radicais livres, que têm papel importante em nosso sistema imunológico, são muito suscetíveis à oxidação, sob a influência de toxinas ambientais, tabaco e estresse, por exemplo. E, quando oxidam, se tornam perigosos, influenciando na formação de tumores.  O selênio, portanto, é essencial para combater a oxidação dos radicais livres, devendo ser usado não só preventivamente, mas também como terapia coadjuvante do câncer, na melhora da imunidade e no combate de infecções agudas e crônicas. Foi observado que pessoas com dietas ricas em selênio são muito menos propensas aos casos de ataques cardíacos e câncer. Além disso, o selênio protege o corpo de compostos tóxicos de metais pesados, como o cádmio, chumbo, arsênico e mercúrio, e radiações nocivas, tais como luz ultravioleta ou radiação do tratamento do câncer. O selênio age também em doenças inflamatórias da glândula tireóide, a tireoidite de Hashimoto, e a doença de Graves, que é uma doença auto-imune que gera uma anomalia no funcionamento da glândula tireóide, causando irritação nos olhos e na pálpebra.

Além disso, o selênio tem um efeito positivo sobre o sistema imunológico. Fortalece nosso sistema de defesa, principalmente em conjunto com o zinco. A administração adicional pode ajudar o organismo na recuperação de uma infecção do sangue ou a doenças causadas pelo HIV, o vírus da AIDS. Há evidências de que uma deficiência de selênio pode afetar a fertilidade: as mulheres que sofreram abortos apresentam níveis extremamente baixos deste mineral no sangue. E, em homens com uma deficiência de selênio, a maturação e a mobilidade do espermatozoide pode ser prejudicada.

COMO ANDA O SEU ESTOQUE DE SELÊNIO?

Com um simples exame de sangue pode-se determinar os níveis de selênio em nosso corpo e saber se estamos com os níveis desejados deste mineral. O estoque normal de selênio no organismo é de cerca de 10-15 mg, sendo que uma grande parte está contida nos músculos, no fígado, rins e coração. O selênio é absorvido nas seções superior do intestino delgado e excretado principalmente pela urina. A dose diária recomendada é de 50 microgramas para mulheres e até 200 microgramas para homens. Mantendo este estoque de selênio em nosso organismo asseguramos todos os benefícios do selênio para nossa saúde.

COMO CONSUMIR O SELÊNIO

O selênio deve ser obtido a partir de alimentos. Particularmente ricos em selênio são: carnes e peixes, grãos, frutas, legumes e cogumelos. Em complemento, é recomendável a ingestão de alimentos com alto teor de vitaminas A, C e D, porque melhoram a absorção de selênio no organismo. Durante o inverno o corpo precisa ainda mais de selênio Para atender a essa demanda, também pode-se utilizar um suplemento alimentar, disponível nas farmácias, sob a forma de levedura de selênio.

Vegetarianos, que comem apenas proteína vegetal, ou quem abusa de álcool, idosos, pacientes com tubo de alimentação e pacientes de diálise estão certamente na lista de pessoas com deficiência de selênio. Mas também pode haver uma falta de selênio quando ele é excretado em excesso. Isso pode acontecer com diarreia prolongada, pela urina de portadores de diabetes mellitus ou doença renal grave. Doenças gastrointestinais (doenças inflamatórias intestinais crônicas, tais como colite ulcerosa) pode igualmente levar a uma deficiência de selênio. Uma maior necessidade de selênio durante a gravidez pode existir durante a amamentação e no período menstrual devido o sangramento.

OVERDOSE DE SELÊNIO

Embora essencial em nosso organismo, o selênio é tóxico em grandes concentrações. Normalmente, o organismo excreta o excesso de selênio na urina. Quando, porém, toma-se grandes quantidades de selênio durante um longo período de tempo podem ocorrer efeitos indesejados como perda de cabelo, danos no fígado, distúrbios nervosos e insuficiência cardíaca.

ALIMENTOS RICOS EM SELÊNIO

A castanha-do-pará é a campeã. Somente uma noz de castanha-do-pará fornece 500 microgramas de selênio. Portanto, basta metade de uma noz para suprir os homens e um quarto para as mulheres. A farinha de trigo integral também possui um bom ter de selênio: 42 microgramas por 100 gramas. Uma gema de ovo fornece 20 microgramas de selênio e o arroz 4 microgramas por 100 gramas.