Soja, um dos alimentos mais perigosos para sua saúde

Soja, um dos alimentos mais perigosos para sua saúde
Avaliar postagem

A soja processada começou a ser introduzida na alimentação dos brasileiros no início da década de 1970, principalmente em forma de óleo de soja, que foi apresentada ao consumidores como uma gordura saudável para o coração e para a nossa saúde. O trabalho de marketing da indústria da soja foi intensa e conquistou inclusive a classe médica. Na verdade, até hoje são investidos milhões de dólares em propaganda no mundo todo para continuar enganando a população. O resultado é que pesquisas mostram que 85% da população acreditam que os produtos de soja são realmente saudáveis. Atualmente, além do óleo, que é a forma mais consumida da soja, ela está presente em cerca de 1500 produtos comestíveis, como massas de padaria, molhos de saladas, leite e carne de soja, alimentos para bebês, em mistura com azeite de oliva e nas rações de animais. Praticamente, quase todo mundo come soja processada diariamente, mesmo sem saber.

Mas, afinal, o que há de tão errado com a soja? Os asiáticos, principalmente japoneses, comem soja há milhares de anos e têm menos incidência de câncer de mama e de próstata, osteoporose e doenças cardíacas do que nós ocidentais. Sim, eles comem soja, mas em pequenas quantidades, 10 gramas de soja por dia em média, o que significa cerca de duas colheres de chá, geralmente como um condimento fermentado, e normalmente em conjunto com uma proteína animal, como por exemplo o caldo de peixe, para facilitar a digestão de soja, que é um alimento tóxico se não for fermentado. Portanto, os alimentos de soja processada podem ser qualquer coisa, menos saudáveis. Evite comer qualquer produto que contenha soja processada.

MALEFÍCIOS DA SOJA PARA A SAÚDE

  1. A soja contém uma proteína tóxica chamada soyatoxina, que injetada em camundongos, causa convulsões tônico-clônicas, paralisia flácida e morte.  Ela é um potente inibidor da tripsina, uma enzima presente no suco pancreático e essencial para a digestão das proteínas consumidas através do alimentos. Sem a ação da tripsina, que atua em conjunto com outras enzimas liberadas pelo estômago, as proteínas não são quebradas adequadamente em moléculas menores para servirem a diversas funções que desempenham em nosso organismo, como o crescimento muscular e a produção hormonal.
  2. A soja bloqueia a absorção de minerais pelo nosso corpo, principalmente o zinco e o ferro e, em menor quantidade, também o cálcio. Isto acontece porque a soja é rica em ácido fítico.
  3. A soja é também repleta de um composto químico chamado fitoestrogênio, substância prejudicial para nossas glândulas adrenais ou suprarrenais, por estarem situadas acima dos rins, que são responsáveis por nos ajudar a combater o stress, por meio da fabricação e liberação de hormônios, como o cortisol a adrenalina. Também estimulam a conversão de proteínas e gorduras em glicose, ao mesmo tempo que diminuem a captação de glicose pelas células, aumentando, assim, a utilização de gorduras. Portanto, a ingestão de soja faz a pessoa engordar e também aumenta as placas de gordura do sangue, causando entupimentos de veias e artérias e, consequentemente, pode levar ao infarto do coração. Outro problema grave é que o excesso de estrogênio é causa de câncer de mama nas mulheres e prejudica a sexualidade nos homens, reduzindo a ereção e a fertilidade. Em crianças do sexo masculino, grandes quantidades de estrogênio vão afetar o desenvolvimento do órgão genital masculino, problema conhecido como a síndrome do pinto pequeno, e também bloquear a testosterona, hormônio responsável pela masculinidade. Além disso, a ingestão excessiva de estrogênio fará as meninas terem seios e menstruação muito mais cedo. Há relatos de meninas menstruando aos 8 anos de idade.
  4. A soja também possui goitrogênicos, substâncias que prejudicam a tireóide,  glândula que produz o hormônio T3, responsável por regular o nosso metabolismo e, assim, fornecer mais energia para o nosso corpo. Metabolismo significa a transformação dos alimentos que ingerimos em glicose e gordura, as duas fontes de matéria-prima para a fabricação de energia em nossas células. Os alimentos à base de soja contribuem para o hipotireoidismo, doença que faz a tireóide retardar o nosso metabolismo.
  5. A soja atual foi modificada geneticamente para se tornar resistente aos herbicidas agrotóxicos. É um dos produtos rurais que mais consome veneno no seu plantio.
  6. A soja processada é rica em alumínio, um metal pesado altamente cancerígeno. Isto acontece porque na indústria a soja é processada em tanques de alumínio em altas temperaturas. Neste processo, o alumínio do tanque se junta à soja que irá para os seus produtos.
  7. A soja é rica em ácidos graxos, que são principalmente gorduras poli-insaturadas ômega-6. O consumo de muitos alimentos que contêm ômega-6 é uma das principais causas de inflamações em nosso corpo e as inflamações são uma das principais causas do câncer.
  8. Fornecer isoflavona aos bebês, substância presente nos alimentos infantis à base de soja, é muito perigoso. A isoflavona pode causar problemas neurológicos e também TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade).
  9. A soja aumenta a necessidade de ingestão de vitamina B12 e vitamina D.
  10. Os óleos vegetais se oxidam com extrema facilidade sob calor, e geram em temperaturas elevadas as danosas gorduras tipo “trans”, que nos oferecem, a partir daí, generosas e pérfidas quantias de radicais livres. Alguns óleos se oxidam na própria extração, já que muitos óleos são obtidos “a quente”, ou seja, sofrem altas temperaturas quando são obtidos das plantas que lhe dão origem, como é o caso da soja. Todos os óleos vegetais fritos estão sujeitos a um processo de conversão sob altas temperaturas gerando, entre outras substâncias, uma particularmente nociva, surpreendentemente tóxica: o HNE.  Trata-se de um sub produto de ácido graxo, ou mais exatamente o 4-hidroxi-trans-2-nonenal, uma toxina obtida de alimentos ricos em ácido linoleico, como soja, canola, girassol e milho. Entre os males aos quais tal toxina está certamente relacionada contam: doenças cardiovasculares, derrame, mal de Alzheimer  e câncer. Isso se deve a sua alta reatividade com moléculas proteicas do DNA e RNA, alterando de forma substancial o funcionamento celular básico de nosso organismo. O único óleo vegetal saudável é a gordura de coco, que não se oxida sob calor, da mesma forma que a gordura de porco, a mais saudável para o nosso organismo.