Vitamina K: conheça os seus benefícios para a coagulação do sangue

Pouco conhecida pela população, a Vitamina K exerce papel fundamental na coagulação do sangue,  ativando a proteína responsável pela formação de coágulos, que impedem que sangremos sem parar quando nos cortamos ou sofremos algum ferimento. Logicamente, então, a Vitamina K é essencial para quem sofre uma hemorragia. Foi descoberta em 1929 pelo bioquímico dinamarquês Carl Peter Henrik Dam e considerada tão importante para o mundo científico que levou seu autor a receber o Prêmio Nobel de Medicina naquele ano. Um fato interessante na sua descoberta é que ele verificou durante um estudo com galinhas sofrendo com hemorragia que o problema era causado pela falta de ingestão de gorduras, o que impedia que a vitamina que ele descobriu pudesse funcionar no organismo daquelas aves como um anti-coagulante.  Assim, Henrik Dam não só identificou a Vitamina K pela primeira vez como também observou que ela é lipossolúvel, ou seja, é uma substância que se dissolve em gordura para circular em nosso corpo. Mais uma prova de que a fobia por gordura é injustificada.

A designação Vitamina K derivou da primeira letra da palavra dinamarquesa koagulation. A vitamina K encontra-se em alimentos animais e vegetais, com a maior concentração em folhas verde escura, como espinafre, couve e brócolis. Na verdade, a Vitamina K é um complexo formado pela Vitamina K1 (filoquinona), a dK (dihidrofiloquinona), a Vitamina K2 (menaquinona) e a Vitamina K3 (menadiona) que se converte em K2 no intestino.

METABOLISMO DA VITAMINA K

A absorção da Vitamina K em nosso organismo ocorre no intestino delgado, onde é metabolizada, ou seja, extraída dos alimentos que ingerimos. Dali é enviada para todo o nosso corpo pelas vias linfáticas, pequenos vasos sanguíneos e nódulos linfáticos, responsáveis, entre outras funções, pelo transporte da gordura para o sistema circulatório. A Vitamina K dura pouco tempo em nosso corpo. Independentemente da dose consumida, 20% é excretada pela urina em três dias, enquanto que entre 40 e 50% pelas fezes. Assim, é necessário uma dieta permanente rica em Vitamina K para mantermos nosso estoque desta substância em níveis adequados em nosso organismo.

PROBLEMAS CAUSADOS PELA DEFICIÊNCIA DE VITAMINA K

Alguns sintomas indicam facilmente a deficiência de Vitamina K em nosso organismo. São eles:

» Hemorragias: perda súbita de sangue, originada pelo rompimento de um ou mais vasos sanguíneos. Pode ser externa, quando é visível e está na superfície da pele, geralmente causada por cortes ou ferimentos. E interna, causada por vários fatores, como um AVC, traumatismo craniano, rompimento de coágulos no cérebro, câncer,  dengue, ataque por facadas ou tiro, cirurgias e acidentes, como quedas de altura ou batidas de automóveis.  Se não for controlada, a hemorragia nos mata rapidamente.

» Equimoses: Manchas roxas no corpo, após uma batida ou pancadas e até mesmo socos por agressão física. Se caracteriza pelo sangramento no tecido subcutâneo, com diâmetro maior que 1 centímetro, originado da ruptura de um ou mais vasos capilares sanguíneos.

» Melena:  hemorragia intestinal, detectada pela presença de sangue nas fezes da pessoa.

» Hematúria: é a presença de sangue na urina.

» Hematêmese: hemorragia de sangue pela boca, devido a problema gastro-intestinal, como o rompimento de uma úlcera ou pancada forte nessa região.

» Osteoporose: é uma desmineralização dos ossos, principalmente a perda de cálcio, que torna os ossos mais porosos e enfraquecidos, podendo quebrar facilmente. A Vitamina K é essencial no desenvolvimento precoce do esqueleto e na manutenção do osso maduro sadio por ser uma reguladora da osteocalcina, a proteína do osso, mantendo os níveis adequados de cálcio na matriz óssea.

Além destes problemas, a hipovitaminose K, deficiência na quantidade de vitamina K no organismo, pode causar doenças inflamatórias intestinais, pancreatites e distúrbios gastrointestinais. Entretanto, o excesso de vitamina K no organismo, a hipervitaminose K, pode provocar doença hepática (do fígado) e anemia hemolítica (por destruição de células vermelhas do sangue). Altas doses de vitamina K em crianças podem provocar danos no cérebro.

ALIMENTOS RICOS EM VITAMINA K

Como já dissemos as folhas verdes nos fornecem quantidades suficientes de Vitamina K para o nosso organismo. Mas outros alimentos como a couve-flor, a cenoura, a alface, aspargos, o ovo cozido e também o leite são fontes importantes de ingestão desta vitamina. De modo geral, não é necessária a suplementação de Vitamina K, exceto sob orientação médica para casos específicos, como de pessoas com problemas de absorção de Vitamina K devido a problemas intestinais pós-cirurgias, por exemplo, câncer, síndrome do cólon irritável ou a doença de Crohn. Fica aqui também um alerta. O uso prolongado de antibióticos pode matar não só bactérias nocivas como também as benéficas em nosso intestino, prejudicando a absorção da Vitamina K.